Pesquisar

sábado, 4 de junho de 2016

A Salvação: Como alcançar?

Estou lendo um livro muito bom chamado "Legítima Interpretação da bíblia" de Lucio Navarro. É um livro que tem como fim desmascarar todas as doutrinas protestantes, que surgiram para atacar o verdadeiro evangelho de Nosso Senhor. Este livro é realmente esplêndido, convido católicos e protestantes a lerem. Basta clicar no link citado acima para adquirir. Como estou lendo, e achei maravilhoso este pequeno trecho, de uma comparação que o autor fez sobre nossa salvação, e meios para alcançá-la, resolvi postar aqui no blog e compartilhar com vocês. Protestantes dizem que obras não salvam (doutrina de Lutero), enquanto que nós católicos cremos que a salvação é dada de graça, entretanto nossa fé produz frutos, pois enquanto estamos na graça santificante, ou seja, unidos com Deus, produzimos frutos e é através do nosso modo de proceder que iremos alcançar (ou não) a salvação. Portanto, como diz São Tiago "a fé sem obras é morta". Mas faço apenas uma breve introdução, pois Lucio Navarro explicará muito melhor que eu a respeito do tema! Espero que gostem. Acompanhem.

A Salvação: Como alcançar?


"Suponhamos um homem que vive aqui na terra, sabendo, portanto, que um dia há de morrer. De vez em quando vem à sua procura o Rei dos céus, que sempre lhe está propondo uma ótima ideia: deixar esta terra e ir para o céu, um lugar maravilhoso, onde se tem a vida eterna. Afinal um dia se resolve a aceitar a proposta. Quer ir para o reino deslumbrante de imensas riquezas, onde se vive eternamente a verdadeira vida, a vida bem aventurada.

- Que devo fazer para chegar até o Céu? - Pergunta ele.
- Bem, diz-lhe o Rei dos céus, o céu é lá em cima, você não pode chegar até lá, se continua a caminhar aqui com seus pés fincados na terra. Tem que subir, tem que tomar um avião. 
- A empresa já se está tornando mais difícil. Onde hei de ir conseguir este avião?
- É muito fácil. Você dá comigo algumas passadas e um pouco mais adiante, eu lhe darei um belo avião de presente, para que você possa subir aos céus. Não lhe custa nada; porque este avião eu já o paguei e por muito bom preço. E há também uma coisa: você é quem vai dirigi-lo.

Paremos, aqui um pouco a nossa alegoria para explicar logo os seus símbolos. O homem que vive aqui na terra simboliza aquele que se acha em estado de pecado mortal. Enquanto ele está aqui na terra, isto é, enquanto está em pecado; o fim que o está aguardando é a morte, que no caso representa a morte da alma, ou seja, a condenação eterna. Aqueles primeiros encontros com o Rei dos céus simbolizam a graça atual que procura iluminar, comover e atrair a alma do pecador. O dia em que se resolve a seguir a sua viagem é o dia em que se resolve a seguir a Cristo para ganhar o céu. O avião que ele deve tomar é a graça santificante, que o eleva a uma grandeza sobrenatural, que faz o homem subir, altear-se acima de sua própria natureza, e só assim com a graça santificante é que o homem está em marcha para o céu; enquanto não a possui, ele está na terra, ou melhor no lôdo, está em pecado, e não está fazendo nada para a conquista da vida eterna. As poucas passadas que o homem dá até alcançar o avião representam as disposições necessárias para o homem receber a graça como são a fé, o arrependimento, a esperança etc, unidas ao batismo, se é um adulto que o recebe, ou à absolvição sacramental, se já foi batizado em criança. Ele vai dirigir, porque desde que é livre, ele próprio é que deve encaminhar-se para o céu. Se é uma criança que o recebe, não precisa dar passada alguma para alcançar o avião; graças ao interesse dos pais dela, o Rei dos céus a coloca na graça santificante e ele mesmo vai dirigindo, até que um dia a criança desperte à luz da razão e nesta hora a direção lhe é confiada. Se o Rei dos céus a chama para o seu reino antes disto: eis aí uma pessoa que alcançou o céu sem as obras, justamente como querem os protestantes. O avião da graça santificante nos é dado gratuitamente, porque já foi pago na cruz, o qual por sua morte redentora, mereceu para nós toda a graça que nos é necessária para a salvação.

Mas continuemos com a nossa história.

O rei dos céus dá ao homem todas as instruções necessárias para bem conduzir-se na viagem. Exigirá uma vigilância contínua, muita força de vontade para não afastar-se do roteiro e para enfrentar as tempestades que não faltarão pelo caminho. Mas não deve desanimar, porque o Rei dos céu está com ele, dando-lhe instruções durante toda a viagem ajudando-o em todo o seu percurso. Estará ao seu lado para atendê-lo com gosto, sempre que necessitar de alguma coisa. Dar-lhe-á a alimentação necessária para não desfalecer em meio da sua empresa. Mas é preciso obedecer-lhe, do contrário pode suceder um lamentável desastre. Dadas estas explicações levantam voo.

O homem, a caminho do céu, vai seguindo o seu roteiro, mas nem sempre está firme na direção. Comete algumas falhas, que fazem pequenas avarias no avião. Amedronta-se as vezes com as tempestades, mas junto dele está sempre o Rei dos céus, instruindo-o, aconselhando-o, ajudando-o, fortalecendo-o. No entanto, apesar de toda a assistência de seu guia e protetor, o homem nem sempre se porta com firmeza e perfeição desejadas. E em dada ocasião, comete uma falta grave, porque teima em desobedecer ao seu guia e zás... o avião se desarranja e despenca daquelas alturas. Só não morre o aviador, porque o Rei dos céus lhe fornece um para-quedas. Esta novamente na terra e novamente sujeito à morte. Mas está unicamente por culpa sua.
Volta assim ao princípio a nossa história: o Rei dos céus o convida a subir outra vez. Tem que dar com ele algumas passadas e (maravilhosa bondade do Rei dos céus!), outro belo avião é oferecido de presente, porque já foi pago por Ele na cruz, uma vez que as riquezas de sua morte redentora são infinitas. Para encurtar a história, raros são os que fazem a viagem para o céu no primeiro avião que tomaram (a não ser as criancinhas que vão ao céu sem o uso da razão). Muitos são os que despencam de lá de cima repetidas vezes. O nosso herói, p.ex., já perdeu a conta das vezes em que caiu e voltou para a terra.

Paremos mais uma vez para dar a explicação.

As instruções que dá o Rei dos céus para a viagem são os ensinos de sua doutrina, de sua lei que nos apontam o exato roteiro para o céu. As tempestades que aparecem no caminho são as tentações que ameaçam fazer desaparecer da alma do cristão a graça santificante. O Rei dos céus sempre ao seu lado, ajudando-o, iluminando-o, fortalecendo-o é ainda a graça atual da qual precisa o cristão constantemente, para manter-se no seu estado de união com Deus. O alimento que lhe dá o Rei dos céus é a Santíssima Eucaristia, sem a qual não tereis vida em vós (João VI,-54). As pequenas avarias são os pecados veniais. Mas a falha grave que provoca o lastimável desastre é o pecado mortal, que faz desaparecer em nós a graça santificante e nos torna novamente mortos pelo pecado, fora do caminho da salvação. O pára-quedas é a misericórdia divina que dá tempo e espaço ao pecador para regenerar-se, porque Deus não quer a morte do pecador, e sim, que ele se converta e viva (Ezequielç XXXIIi-11). As passadas que ele dá para conseguir novamente um meio de subir para o céu são o exame de consciência, a contrição e a confissão pelos quais recebe outra vez a graça santificante, no sacramento  da penitência. 

Agora finalizemos a alegoria.

Afinal, depois de muitas vicissitudes, o Rei dos céus dá por terminada a viagem. 
Bem, - diz ao homem - Você trabalhou e se esforçou para chegar até aqui; também mostrou que confiava na minha palavra. Ora, acontece que aqui na casa de meu Pai há muitas moradas (João XIV-2). Aqui se tem que fazer justiça; Cada um receberá a sua recompensa particular segundo o seu trabalho (1° Corintios III-8). Nem todos aqui tem o mesmo grau de felicidade, da mesma força que há diferença de estrela a estrela na claridade (1° Corintios XV-41). Você, portanto, vai ter o grau de felicidade que lhe cabe, de acordo com o tempo que passou em viagem (pois o que você passou na terra não conta) e de acordo com o grau de boa vontade, de amor, de obediência, de confiança que mostrou para comigo.

- O Senhor diz que o lugar que vou ter no céu é um prêmio pelo que fiz. Eu me acanho até de ouvir falar nisto. Que é o que fiz, em comparação com o que o Senhor fez comigo? Como eu poderia subir até aqui, se o Senhor não me desse "de graça" aquele avião que para mim tão generosamente adquiriu por tão alto preço? Como eu poderia chegar até o céu, se o Senhor não estivesse sempre ao meu lado, indicando-me o caminho, ajudando-me e confortando-me a todos os instantes? Como eu poderia sair vitorioso nesta empresa, se todas as vezes que por minha culpa fiz despedaçar-se o avião, o Senhor me protegesse com o para-quedas de sua misericórdia e não me desse, mais uma vez gratuitamente, outro avião pra subir? O meu lugar nos céus pode ser prêmio de meus esforços, como o Senhor diz com tanta bondade, porém mais, muitíssimo mais do que isto, deve ele ser considerado um grande benefício do Senhor para comigo. 

Não é preciso mais explicar a significação do resto. É assim o prêmio do céu. (...) Compreenderam agora nossos prezados amigos protestantes? é por isto que S. Paulo, depois de dizer que o estipêndio, o salário, o preço do pecado é a morte, quando nós esperávamos que ele dissesse que, por sua vez, o prêmio, o estipêndio, a recompensa da virtude é a vida eterna, termina a frase de sua maneira imprevista; ele nos diz que a graça, o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Nosso Senhor Jesus Cristo: O estipêndio do pecado é a morte; mas a graça de Deus é a vida perdurável em Nosso Senhor Jesus Cristo. (Romanos VI-23). 

A vida eterna, o prêmio do céu, que está acima da nossa natureza, é uma dádiva que Deus oferece àquele que estava submerso no pecado e que passa, pela misericórdia divina, a revestir-se da graça santificante, gozando da amizade de Deus. E já é vida eterna esta graça que habita no coração do homem, mas vida eterna que precisa ainda ser mantida pela fidelidade, pela cooperação deste mesmo homem. 

Por maior que seja a nossa cooperação, se bem considerarmos toda a história da salvação de uma alma, desde o começo até o fim, em última análise o prêmio do céu é sempre um benefício de Deus, pois Ele nos ajudou em toda a altura.

O fato de dizermos que as nossas obras influem na salvação não nos impede de considerar a salvação um dom de Deus, dom que Ele misericordiosamente oferece a todos; nem tira o valor do sacrifício oferecido por Jesus Cristo na cruz, pois daí é que nos vieram os meios, que nunca teríamos de nós elevarmos acima de nós mesmos, afim de conquistar o céu. Toda a graça que os homens recebem, desde a queda de Adão até hoje, é graça de Cristo adquirida pelo seu sangue no Calvário; e por isto toda a glória dos salvos, dos santos, dos eleitos reverte em justiça e santificação e redenção (1° Corintios I-30) e sem o qual nada poderíamos fazer.

E o fato de termos que dizer, em vista do nosso nada, da nossa insuficiência: Somos uns servos inúteis (Lucas XVII-10) não impede a Deus de nos oferecer a sua coroa de justiça: Bem está, servo bom e fiel: já que foste fiel nas coisas pequenas, dar-te-ei a intendência das grandes; entra no gozô de teu Senhor (Mateus XXV-23). 

Legítima Interpretação da bíblia - Lúcio Navarro. 

3 comentários:

  1. O meu nome é Joel e sou recem convrtido ao protestantismo, ate pouco tempo atras eu não sabia nada de Deus, religião catolicismo ou protestantismo, mas co o passar dos meses eu pude perceber que há entre esses dois seguimentos religiosos, muitas mentiras, trocas de acusações, ofenças e falcidade de ambas as partes. Porque o pouco que eu aprendi da Palavra de Deus, é que há um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem (lTm 2.5). Nenhuma igreja é pro´rietária da Graça de Deus. Nenhuma igreja pode conceder a salvação como melhor lhe parecer. A grraç de Deua pertence somente a Deus e é aplicada ao pecador por causa da eficacia do sacrificio substitutivo de Jesus Cristo e mediante a ação soberana do Espirito Santo. É vergonhoso ver pessoas que se dizem teologicamente culta, ficar fazendo intrigas entre uma religião e outra. Eu na minha ignorancia entendo que só existe uma religião e que essa religião foi criada la no jardim do edem. No entanto há uma variação de erro que é sutil e se infiltra nas igrejas chamadas evengelicas. Trata-se da variação que diz que fora da minha denominação não há salvação. Esse é um erro tão grsseiro quanto o erro do catolicismo romano. O pior é que as vezes não chagamos a afirmar com nossos lábios, mas nos comportamos como quem acredita que só os presbiterianos, os batistas, luteranos e assembleianos serão salvos, perdendo assim, a dimenção real e organica da igreja de Cristo, que não se prende a denominações. Eu Joel entendo que todos aqueles que foram alcançados pela graça salvadora de Cristo, e portanto, possuem um relacionamento filial com Deus, pertencem a igreja de Cristo e são todos irmãos. É muito treste ver pessoas que se dissem cultas e conhecedoras da verdade, ter um entendimento tão mediucre com relação as ciosas de Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joel Silva, engraçado vc vir falar de "rivalidade" "brigas", e diz ser convertido a uma religião chamada "protestantismo". Que protesta!! Sim, pois se há algo que divide, isso se chama protestantismo! Lutero, 15 SÉCULOS DEPOIS DA ERA APOSTÓLICA se rebelou contra a única Igreja fundada por Nosso Senhor, chegou a negar o arrependimento dos pecados para ser salvo, e dividiu os cristãos, levando muitas pessoas a condenação! E depois dele, vários outros reformadores protetantes vieram que protestaram não somente contra a Igreja de Cristo, mas contra o próprio protestantismo! Calvino por exemplo, não concordava com Lutero, que nao concordava com Swinglio, e assim por diante, e isso acontece até nos dias de hoje, onde milhares de semi-pastores fundam suas próprias seitas, todas com a mesma biblia nas mãos e ensinando uma diversidade imensa de doutrinas! Todas com a mesma biblia, mas nenhum entra de acordo! Conheço pessoas que chegaram a se batizar 7 vezes, cada vez que mudavam de seita protestante. E vc vem de falar de brigas e intrigas? Por favor, reflita um pouco e conheça a história da SEITA a qual vc aderiu. Que tem um discurso demoníaco e realmente encantador! Falam o nome de Cristo o tempo inteiro e passam imagem de piedosos, mas de piedosos nao possuem nada! Negam todos os ensinamentos verdadeiros de Cristo, inclusive tiraram da biblia 7 livros, e algumas partes dos livros de Ester e Daniel. Escolhem da biblia só as partes que são agradáveis e rejeitam as que nao gostam! Sim, Jesus é o único mediador, mediador de SALVAÇÃO, só ele morreu em resgate por todos, e isso nada tem a ver com intercessão dos santos, nem com nenhum outro assunto mais. Vcs distorcem tudo a seu bel prazer! E por favor, não venha mais atacar a Igreja aqui com discurso de bonzinho, pq não será aceito não. Vc fala de presbiterianos, mas mal sabe que quem esta seita tem origem em João Calvino, que criou uma inquisição de caça aos hereges, chegou a mandar matar Michel Servet na fogueira, e João Calvino também quem ensinou a predestinação calvinista, o que é? VC sabe??? Ele dizia que DEUS criou os homens para serem salvos ou não, e isso independe de nossa vontade, ele predestinou uns para o céu e outros para o inferno desde toda eternidade, ou seja, DEUS É O CULPADO DAS PESSOAS SE CONDENAREM, enquanto a bíblia diz que o HOMEM ´e culpado pelos seus próprios pecados, os presbiterianos creem que não, nós não somos culpados, pq não somos livres, DEUS É CULPADO, João Calvino chegou a afirmar que Deus obriga o homem a pecar para depois poder condená-lo! Estes ai que vc diz que serão salvos??? haha Meu filho, não podemos nos julgar salvos, pq somos pecadores! Podemos abandonar a Deus a qualquer minuto, só saberemos se estamos salvor se "perseverarmos até o fim" no caminho do bem, como está escrito na bíblia. Só para lembrar, presbiterianos batizam crianças, assembleianos não batizam e ainda acham que o batismo da prestiberiana é INVÁLIDO.

      Portanto, primeiro entrem de acordo, depois tentem levar o evangelho ao mundo, pq com toda esta confusão acho difícil! Lembre-se: Para ser salvo é preciso obedecer TUDO o que ensinou Nosso Senhor! TUDO, e nenhuma seita protestante tem a verdade, nem poderiam ensinando cada uma uma doutrina diferente da outra.

      São seitas. Deixo um livro para que vc leia e pense, reflita a decisão que tomou ao entrar para esta seita. O livro pode ser comprado no link abaixo:

      http://www.livrariasaojoaobosco.com.br/pd-2ec362-legitima-interpretacao-da-biblia-lucio-navarro.html?ct=131ce0&p=1&s=1

      Ou tem em PDF aqui para baixar:

      http://www.obrascatolicas.com/livros/Apologetica/legitimainterpreatacaodabiblia.pdf

      Com toda caridade te digo: Leia! De verdade, vc vai compreender muitas coisas que não te contaram. Nem que seja para conhecimento próprio, leia este livro. Vale a pena! Deus te abençoe.

      http://alexandriacatolica.blogspot.com.br/2011/12/legitima-interpretacao-da-biblia-lucio.html

      Excluir

Bem vindo ao nosso espaço! Os comentários antes de serem postados, passam por aprovação da moderação. Por isso lembramos aos seguidores que não serão aceitos comentários maldosos, irônicos com tom de maldade, acusações infundadas e ataques diretos e indiretos a Fé Católica e à Moral da Igreja. Salve Maria Puríssima.

"Eu quero que todos vocês meus queridos filhos espirituais, combatam com o exemplo, e sem respeito humano uma santa batalha contra a moda indecente. Deus estará com vocês e irá salvá-los." São Pe. Pio de Pietrelcina

Siga-nos via blogger.com

Total de visualizações de página